sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Quem nunca dormiu no colo do Papai?


Certa feita em uma reunião de grupo pequeno da minha igreja, um jovem ex-dependente químico, que recentemente havia terminado tratamento fez um comentário acerca de dormi durante as orações noturnas, aquelas que fazemos antes de dormir. Quando falávamos da negligência de vigilância durante oração e o descontentamento de Deus com nossa falha, ele disse sorrindo: “Aprendi no meu internamento algo sobre isso; que pai não gostaria de ter seu filho junto a ele falando sobre o seu dia quando de repente o filho adormece em seu colo em seu aconchego”. Não sei quanto aos outros, mas essas simples palavras foram libertadoras pra mim, pois já havia me cobrado várias vezes por não permanecer firme nas minhas orações noturnas. Percebi o quanto a minha percepção de Deus era tão deturpada, pensando em sua reprovação quanto a minha falta de vigilância. No entanto, as palavras daquele rapaz trouxeram-me um ar de graça, aquela graça maravilhosa que o Evangelho declara e que agente fica sem palavras diante dela, pois não há o que dizer.

Pôs-me logo a imaginar-me como um pai e tivesse meu filho ao meu colo e ouvindo-o falar de todas as brincadeiras que ele fez, de como se machucou jogando bola e de repente logo caísse no sono. Nossa! Que coisa gostosa seria! Certamente um pai nesta ocasião se comoveria de amor pelo filho o abraçando, e o guardando em seus braços. Depois pensei mais uma vez, quantas vezes o Senhor fez isso comigo, quantas inúmeras vezes ao inclinar na minha cama para orar depois de um dia exaustivo fui surpreendido pelo sono. Mas em nenhum desses momentos em que me aproximei com o coração quebrantado o Senhor deixou de me assistir, mesmo que eu nem tenha percebido.
Ao ler a Bíblia eu percebo que Deus é um Deus pessoal, Ele se envolve com a sua criação, Ele se envolve com seus filhos. Como diz o ditado popular “Deus é Pai”! Apesar do dito a quem duvide muito que Deus se interesse por negócios puramente humanos, muito menos que nos trate como filhos. Jesus encontrou algumas pessoas desse tipo, pois muitos de sua época acharam absurda a idéia de Jesus se referir ao Deus de Israel como Pai (Jo 10.22-42). Seguir a Jesus é andar nos seus passos, se de fato somos seus discípulos recebemos o seu Espírito e é Ele mesmo que nos aproxima de Deus e nos tornar seus filhos (Gl 4.6). Isso é maravilhoso! O Deus criador é o meu Pai!
Por isso não tenho mais vergonha de dormir na presença de meu Pai, o que mais quero é sempre poder me achegar diante d’Ele com o coração aberto, sem medo de ser reprovado, sem formalidades, pois sou da família. Engraçado que depois disso as minhas orações passaram a ser mais fervorosas e freqüentes. De fato isso tudo é resultado da graça, a graça de Deus que nos constrange a viver um relacionamento baseado no amor e não em uma religiosidade fria e vazia.
Salmos 4
8 Quando me deito, durmo em paz, pois só tu, ó SENHOR, me fazes viver em segurança.

2 comentários:

Lin Marx disse...

(é não sou só eu quem escreve bem rsrsrs)
Eu me lembro dessa noite, Wesley! Senti o mesmo q vc... Inbcrível como esse nosso irmão é tremendamente usado por Deus =)

E incrível como este nosso Deus é TREMENDO!
Abraço,
(hei segue meu blog! o/)

faimon disse...

Meu Deus! Que post lindo cara!
As reflexões que você teve ao ouvir o rapaz, todas se repetem na minha mente agora, e se encaminham para um resultado parecido. Movimento que de tão perfeito e cíclico e ao mesmo tempo pessoal e intransferível, só pode ser obra Dele, através do texto que fez você escrever.
Aquele abraço brother!

Postar um comentário

Test Widget